Conto de fadas, distopia e reallity show - Resenha de "A Seleção", de Kiera Cass




Título: A Seleção (The Selection)
Autor: Kiera Cass
Tradução: Cristian Clemente
Editora: Seguinte
361 páginas

Sinopse: 
Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

"Não queria ser da realeza. Não queria ser Um. Não queria nem tentar."

Gente, a pergunta que não quer calar é: por que este livro ainda não virou filme?
Eu demorei muito para ler este livro. Mas agora que li, quero urgentemente pegar o restante da saga e terminar de ler. Em uma palavra: é lindo!
O ivro é narrado em primeira pessoa, através do ponto de vista de América. A primeira impressão que ela passa é de uma jovem batalhadora, que sonha em uma vida melhor para a família e em juntar dinheiro para poder se casar e viver sua própria vida com Aspen, o garoto da casta 6 com quem ela namora escondido há cerca de dois anos. Escondido porque na nova divisão em que se encontra o país, as leis são severas: as pessoas tem de obedecer a um toque de recolher depois de determinado horário; é uma vergonha que uma jovem se case com um rapaz que esteja abaixo de sua casta; quem perder a virgindade antes do casamento é punido. Desta foma, os dois se encontram escondidos e América sente que ali, nos braços de Aspen ela encontra tudo o que precisa ter.

"Pela minha experiência, posso dizer que o amor verdadeiro
 é sempre o mais inconveniente"

Um dia a carta do palácio chega em sua casa e ela é convidada para participar da "Seleção". Uma espécie de reality show - parecido com o "The Bachelor" - onde o príncipe seleciona 35 candidatas que vão concorrer ao seu coração - ou á coroa, no caso. Essa é uma regra do país: a nova princesa deve vir do povo, ou seja, ser escolhida entre as plebeias. America acha um absurdo participar e de cara diz que vai recusar, mesmo sob os protestos de sua mãe. E numa conversa com Aspen, ela se surpreende quando ele insiste que ela participe, pois dessa forma ela poderia alcançar meios de melhorar de vida, mesmo que no final, não fosse a escolhida do príncipe.

"… espero que encontre uma pessoa sem a qual não possa viver. Espero muito. E desejo que nunca precise saber como é tentar viver sem ela.”

E dessa forma maluca, ela decide entrar no jogo, com a certea absoluta de que nunca vai chegar tão longe. Mas aí... Nada é do jeito que a gente quer, e America aprende isso.
Magoada com Aspe por causa de uma briga pouco antes de ser anunciada como uma das selecionada, America entra no palácio disposta a esquecer que ele existe, mas ainda no firme propósito de não ter a menor chance contra tantas garotas tão mais bonitas do que ela. Com a ideia de que o príncipe não passa de um mauricinho metido e esnobe, ela vê todo seu "pré-conceito" ruir, quando se torna mais próxima dele.

"Penso que é só uma questão de tempo até destruírem alguém importante para mim."

E assim, Maxon e America constroem aos poucos uma amizade. Ele promete mantê-la no jogo durante o maior tempo possível e ela promete ajudá-lo a escolher a princesa perfeita. E tudo parece dar certo. E eu vou parar por aqui antes que conte o livro todo. haha

"Aqui não é o melhor lugar para você lutar por mim."

É que a história é tão bonitinha que dá vontade de falar dela por horas e horas. A autora conseguiu unir distopia a Contos de Fadas e escreveu uma história fantástica, que prende a gente. O romance é muito fofo - por falta de uma palavra melhor, fazendo com que a gente consiga sentir a mesma confusão que America sente.
Claro que todo romance tem uma vilã e esse não podia ser diferente. Celeste, uma das selecionadas, é daquelas que está disposta a tudo para por as mãos na coroa e faz a gente torcer pra ela rolar da escada e se arrebentar. Chaaaaaataaaa!

"Você sabe que eu não vou desistir, não sabe?"

Eu li o livro de um dia pro outro. A leitura é muito fácil, rápida, prende. A letra também é grandinha, o que ajuda bastante. A capa do livro é maravilhosa! Quantas vezes eu entrei na livraria só para paquerar a trilogia, que aliás, não é mais uma trilogia, pois o quarto livro já saiu e ao que tudo indica, vem um quinto por aí! Isso que dá escrever coisa boa. É tão bom que nem o leitor e nem o autor conseguem se despedir dos personagens.

"- Você está bem? Parece tensa - comentou Maxon.
 - Você fica nervoso com choro de mulher, e eu com caminhadas ao 
lado de príncipes - disse, dando de ombros."

Aliás, cada personagem desse livro - menos a Celeste - tem uma característica que faz a gente gostar dele. É difícil, como eu já disse, saber de que lado ficar, para quem torcer.
E claro, como em toda série, este primeiro livro acaba com um gosto enorme de quero mais. Tanto que eu estou considerando seriamente sair daqui agora e caminhar algumas milhas até a casa da minha amiga para buscar o segundo e o terceiro... Gabiii, tô chegando!

"... se você não quiser que eu me apaixone, não pode ficar assim tão linda..."

Enfim, recomendo. Para quem pensa que por ser uma distopia vai ter coisas muito loucas, pode ler sem medo que não tem. É óbvio que mostra o mundo numa realidade totalmente diferente, mas nada que possa ser considerado muito fora do normal.
Leiam, porque vale a pena!
por enquanto é só e até a próxima!
Já já as resenhas do segundo e do terceiro pintam por aqui!
Bjoss

Comentários

  1. Oii
    é minha trilogia favorita! Na A escolha vai mudar um pouco de opinião sobre Celeste haha adorei a resenha :D
    Fique com Deus!
    http://www.doceliterario.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Bem vinda ao nosso cantinho!
      Adorei esse livro. Não vejo a hora de continuar!
      Obrigada pela visita e volte sempre!

      Excluir
  2. Juuuu
    Sempre vejo esse livro na avon, mas nunca me decidi a comprá-lo. Ainda. Você e Raimundo fizeram resenhas lindas, e só fizeram com que eu me encantasse cada vez mais com a história. E essa capa, hein? Adoro ela!!!

    Beijos, gêmea!!! Amei o post!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Malu!!! A hora que você puder, leia. É lindo !!!
      Acabei de pegar os outros dois com a minha amiga: "A Elite" e "A Escolha". Adivinha quem vai passar a madrugada lendo hoje?
      hahahah
      Bjosss

      Excluir
  3. Oi, Ju!

    Também simplesmente amo A Seleção, a trilogia inteira aliás. A leitura é fluida e a história encanta. Malu, leia logo e não esquece de contar pra gente.

    Beijos pras duas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Raimundo. Junto com a sua resenha e agora a da Ju, esses livros entraram de vez pra minha lista!!! E pode deixar que venho dividir minha empolgação com vocês sim!! rs
      Bom te ver por aqui, viu?

      Beijos!

      Excluir
    2. De verdade, tomara que seja tão bom pra ti quanto foi pra nós.

      Sempre que der, passo aqui!

      Beijos!!!!

      Excluir
  4. Oi Raimundo! Já estou lendo "A Elite" e ficando cada vez mais encantada.
    E de olho no "A Escolha" que me espera alia na prateleira!
    Demorei para ler, mas tá valando a pena!
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju, você pode se estressar ou não com "A Escolha". Mas vai depender muito de pra quem você torce... Team Maxon ou Team Aspen? Muita gente reclamou, mas eu adorei o final da trilogia.

      Difícil decidir qual o melhor livro dos três. Bons demais!

      Beijos!

      Excluir

Postar um comentário