Resenha: "Claro que te amo" - Tammy Luciano


Imagem do blog: Eternamente Princesa


Uma das vertentes da psicologia diz que tudo o que detestamos no outro é apenas o reflexo do que não aceitamos em nós. Bom, mas por que cargas d'água estou falando disso num post que é para ser mais uma resenha? Então, é que lendo Claro que te amo eu dei de cara com a Piera, uma personagem que durante a maior parte do livro, me deixou com uma imensa vontade de dar uns dois tapas na cara dela. Sabe aquelas situações em que você tem vontade de fazer a pessoa acordar para a vida e perceber a besteira que ela está fazendo? Era essa a minha vontade em relação a Piera. 

Claro que te amo é uma história narrada em primeira pessoa e logo no início, ela, Piera, se apresenta para nós. Uma garota de 19 anos, estudante de arquitetura, que mora apenas com o pai já que sua mãe foi embora pouco depois do seu nascimento, e que num ato de extremo masoquismo decide ir assistir ao casamento do seu ex-noivo com quem ela viveu um longo namoro de 6 anos. A escrita da autora é super envolvente desde a primeira página, acho que por isso a história me despertou tantos sentimentos. 
"Deixe me apresentar: Eu sou aquela garota que está vivendo o que não queria."
Cada capítulo do livro começa com uma sentença, e é essa a que encabeça o primeiro. Cof cof cof... Alguma coisa familiar? Piera acreditava no seu relacionamento com André, embora o seu coração já gritasse que ela permanecia com ele muito mais por comodismo que por qualquer outro sentimento. Quando ele decide terminar o namoro, engatando dois relacionamentos e casando algum tempo depois, nossa personagem vê o seu mundo desmoronar literalmente. "Sabe quando você tem certeza de tudo, não desconfia do destino, se vê no controle da situação e, de repente, tudo muda e, além de não ser mais protagonista, você nem parece merecedora do papel de coadjuvante?"

A medida em que a história vai se desenrolando, conhecemos um pouco mais a respeito de Piera. Sua mãe foi embora e o pouco que ela sabe a seu respeito veio a partir das histórias contadas por seu pai - que é também seu grande amigo - e das fotos que ela recortou numa tentativa de formar na imaginação a figura daquela que lhe deu a vida. Com o fim do seu relacionamento com André, portanto, Piera passa a carregar dentro de si o trauma causado por dois abandonos. Complicado, né?
"Eu diria que minha vida deu uma enorme volta para que, acima de tudo, soubesse quem sou e o que quero. Quem sabe não seria uma garota sem príncipe encantado, me apaixonando pela própria vida e tendo comigo mesma uma linda história de amor? Se há uma coisa que dá voltas, é a vida. Queria me resolver, me encontrar, comemorar quem sou, mas não estava sendo fácil saber como recomeçar e que caminho seguir. Eu vivia fragmentos, pedaços do dia, no restante ligava uma espécie de automático. Quanto tempo duraria isso? Não tinha a menor ideia."
É compreensível que você fique com o pé atrás quando vivencia experiências de abandono como as vividas pela nossa personagem, sei que é difícil você continuar acreditando que um dia algo de bom vai acontecer na sua vida, mas, gente, como diz a mãe do personagem de Tom Hanks no filme Forrest Gump: "A vida é como uma caixa de chocolates, você nunca sabe o que vai encontrar." Tudo bem, eu sei que eu não sou exatamente a pessoa mais indicada para falar sobre continuar acreditando, etc e tal, mas a Piera, ela simplesmente me superou no que diz respeito à fantasmas, medos e inseguranças. Por isso a partir de um determinado momento do livro me bateu a vontade de dar aqueles dois tapinhas nela, tadinha. 

Preciso dizer que esse livro, ou sua autora no caso, tem um forma singular de surpreender o leitor. Me vi surpresa em pelo menos três momentos, e o primeiro deles foi no que trata do reaparecimento da mãe de Piera. Não posso falar muito para não contar detalhes da história, mas a volta de Cecília dá uma reviravolta de 360º na vida da garota. Ela descobre através de seu pai que sua mãe está internada numa clínica de repouso e é exatamente a partir desse momento que os piores e melhores momentos de sua vida começam, de fato, a acontecer. Sim, porque ao mesmo tempo em que fica sabendo da doença de sua mãe (esquizofrenia), Piera conhece Marcelo, o médico administrador da clínica de repouso. 
"O senhor Marcelo, o administrador, entrou na recepção sorrindo e ali, olhando aquele homem totalmente desconhecido, esqueci pelos próximos segundos todos os meus problemas até aquele dia. Fiquei calada observando cada passo daquele desconhecido. O sorriso continuava ali e meu coração ficou ainda mais apreensivo, como um urso polar sendo colocado em uma praia do Ceará. Depois de observar os dentes, dei de cara com um par de olhos verdes quase azuis, os olhos mais terríveis de olhar. Não são somente verdes. Também não são azuis. São olhos verdes que chegam perto do azul e voltam para o verde, indo mais uma vez no azul e… Por que estávamos ali e qual era o problema da minha vida mesmo?"
Eu preciso continuar mesmo a resenha depois dessa citação? Bem que não se Piera não tivesse demorado demaaaais a perceber a grande oportunidade que o destino lhe colocava nas mãos. Desde que a conhecera, Marcelo se mostrara um amigo para todas as horas, um companheiro de jornada, e mesmo depois de ter se declarado apaixonado por ela, dito que a amava, ela se deixou levar por medos e inseguranças. Entre as tantas idas e vindas do casal protagonista de Claro que te amo, eu quase jogo meu celular na parede de tanta raiva dessa garota! Pôxa, eu estava lendo um livro, queria encontrar algo diferente da vida real!

E foi mais ou menos assim, gente, entre raivinhas, suspiros e muita emoção que continuei a leitura dessa linda e envolvente história. Muita coisa acontece no decorrer do romance, mas não quero dar nenhum spoiler, então vou terminar essa pequena resenha dizendo que Claro que te amo é um livro muito, muito bom. Não tem nada a ver com aquelas histórias "água com açúcar", mas, claro, não deixa nada a desejar no que diz respeito à sensibilidade. Quem já acompanha o T&R e as nossas resenhas, sabe que Ju e eu somos duas românticas assumidas, por isso, não vou negar que adorei chegar no último capitulo desse livro e ver nele mais um dos finais felizes que eu tanto amo! Valeu muito a pena a raiva que Piera me fez... rs 

É isso! Fico por aqui esperando que tenham gostado da resenha! Desculpem a empolgação e até a próxima! rs

Beijos!!

Outros quotes preferidos


 "Eu queria ter a chance de mergulhar sem pensar na altura e se no chão havia água ou terra."
*
 
"Ser mimada não é pecado, gostava de me sentir especial, mas intimidade forçada é algo que sempre me incomodou." 
*

 "Eu devia aproveitar um momento especial, mesmo que fosse rápido. (...) Então, por alguns segundos, fechei os olhos e me deixei ser levada pelo sentimento sincero de não fugir, de acreditar e de estar exatamente onde queria estar."
*

"Eu diria que minha vida deu uma enorme volta para que, acima de tudo, soubesse quem sou e o que quero. Quem sabe não seria uma garota sem príncipe encantado, me apaixonando pela própria vida e tendo comigo mesma uma linda história de  amor? Se há uma coisa que dá voltas, é a vida. Queria me resolver, me encontrar, comemorar quem sou, mas não estava sendo fácil saber como recomeçar e que caminho seguir. Eu vivia fragmentos, pedaços do dia, no restante ligava uma espécie de automático. Quanto tempo duraria isso? Não tinha a menor ideia."
*

"Por que alguns momentos na nossa vida existem sem a menor necessidade de terem existido? Será mesmo que são assim tão sem sentido quanto parecem? Ou existe motivo até nas experiências rasas e nos encontros fúteis?"

"As vezes, parece que não estamos nos nossos melhores dias, mas na verdade é apenas um período de mudanças para surgir o novo, o melhor."
*

"Quando sentimento é uma obrigação, não vale nada o relacionamento."
* 

“E onde estava o meu príncipe que ainda não tinha aparecido? É tão estranho pensar que pode existir alguém realmente especial, capaz de mudar sua vida, mas que você não tem a menor ideia de quem seja ou onde mora. Vai por mim: tem sempre alguém legal para outro alguém. Serei eternamente positiva nesse assunto."
*
"De repente, o sonho acontece, só porque sempre existiu dentro de você." 


Comentários

  1. Olá, nunca li nada dessa autora, sabe.....mas confesso que apesar de sua ótima resenha ainda não cheguei a me empolgar?
    Gosto muito de romances, mas prefiro os de época..não sei, acho mais divertido, deve ser questão de gosto mesmo
    bjão
    Renata
    http://www.umaleituraamais.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, Renata...

      Eu também não havia lido nada dela ainda, mas confesso que gostei bastante da história, apesar de ter me sentido meio que numa montanha russa de emoções. Bom, e quanto à romances de época, eu também os prefiro! Jane Austen é meu xodó e eu sonho com o Mr. Darcy pra mim! hahaha

      Obrigada pela visita! Volte sempre! Beijos!

      Excluir
  2. Achei a ideia do livro ótima, aliás conhecia o livro, porém não sabia do que se tratava. Provavelmente esse seria o tipo de leitura um pouco angustiante para mim, mas mesmo assim quem sabe um dia eu leia e conheço a escrita da autora também.

    Beijos!
    livrosdawis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, WilWislanny!
      Entao, eu n achei uma leitura exatamente angustiante, mas que me trouxe uma certa adrenalina, isso eu ñ posso negar! Bom, dá pra perceber que eu recomendo o livro, ne? Se vc o ler, assim, passa por aqui e conta pra gente o que achou! :).

      Obrigada pela visita! Beijos!

      Excluir

Postar um comentário