22 de junho de 2015

Resenha: "Como Eu era antes de Você" - Jojo Moyes


Sinopse: Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.




Depois de tanto falar aqui sobre a minha paixão por esse livro, finalmente criei coragem de resenhá-lo no blog. Semana passada me peguei completamente abalada nas minhas estruturas com todas as notícias que estão sendo divulgadas sobre a adaptação dele para o cinema, e a consequência disso se fez no meu coração, que não aguentou a saudade de Lou e Will, e por isso me fez mergulhar novamente nessa história que mexeu comigo muito mais que qualquer outra. Aliás, no tocante à capacidade de proporcionar reflexões, mexer com valores que a gente tem como certos e nos fazer mergulhar de cabeça numa realidade que conscientemente a gente sabe que pertence a um livro, a trama de "Como Eu Era Antes de Você" - pelo menos para mim - se compara a de "Orgulho e Preconceito", apesar dos dois livros abordarem temáticas completamente diferentes. Mas, porém, todavia, contudo, vou deixar de blá-blá-blá e apresentá-los a Will e Lou. 

Quando li a sinopse desse livro, eu andei muito longe de imaginar o quão particular seria sua história pra mim, pois confesso que não foi exatamente ela que despertou minha curiosidade. Na verdade foi o título que chamou minha atenção, e acredito que qualquer que fosse a apresentação da história descrita na sinopse, eu o teria lido mesmo assim. Como eu era antes de você, a expressão, nos remete a realidade da influência que exercemos uns sobre os outros, certo? Ao fato de que como pessoas estamos sempre em processo de mudança, transformação, e nenhum fator é tão influenciador nesse sentido quanto as relações que travamos ao longo do caminho. Pois bem. É exatamente sobre isso que nos fala Como Eu era antes de Você, o livro. Sobre o impacto que os personagens causaram na vida um do outro; sobre a transformação que Louisa Clark vivenciou quando conheceu Will Traynor, e sobre o quanto a presença de Lou se tornou importante para a melhoria da vida de Will.

Como Eu era antes de Você nos apresenta inicialmente a Will, um empresário londrino bem sucedido, amante da vida e apaixonado por esportes e adrenalina. Percebemos que ele tem uma rotina agitada antes mesmo de chegarmos a quinta página do livro, e por isso o desenrolar da história vai tornando intensamente profundo e complexo. Imagina você de uma hora para outra perder toda a liberdade quem tem? Pois é... Foi exatamente isso que aconteceu com Will Traynor quando, numa manhã chuvosa, ele foi atropelado por um motociclista. Esse acidente, além dos movimentos dos braços e pernas, lhe tirou também toda a alegria e a vontade de viver. Assim, num salto de dois anos da história, vamos encontrar também Louisa Clark, uma jovem mulher de 26 anos, que nos é apresentada como alguém simplesmente normal - para alguns, isso significaria sem sal. Sem grandes ambições, ela mora com a família (pai, mãe, irmã, sobrinho e avô) e namora Patrick, um personal trainer viciado em corrida. A vida de Louisa, contudo, sofre uma reviravolta inesperada quando o Café em que ela trabalha fecha as portas e ela precisa urgentemente de um novo emprego. 

Eu poderia escrever horas e horas sobre esse livro, gente. Sério. Mas além de não querer cansar vocês com a minha empolgação, não quero correr o risco de estragar o prazer daqueles que ainda não o leram ao deixar escapar alguns spoilers. O que posso dizer a respeito desse romance, basicamente, é que ele vai muito além de uma história de amor. Na verdade, eu acredito que a Jojo - para escrevê-lo - deve ter feito uma pesquisa prolongada a respeito da vida das pessoas com deficiência, sobre os seus medos, expectativas, vontades, frustrações, desejos e sonhos. O livro nos remete a um universo de sentimentos e é impossível não sentir as emoções dos personagens. Eu, por exemplo, ora me sentia como Will, ora como Lou, e isso sem contar as vezes em que me vi meio que na pele de Camylla Traynor, mãe do Will e responsável pela contratação de Louisa como "cuidadora" deste.  Sim, é nesse contexto - cuidadora e assistido - que eles se encontram, e que a partir desse momento, sua vidas nunca mais serão as mesmas.

Sam Claflin e Emilia Clarcke durante as filmagens de "Como Eu era antes de Você". Fonte: Facebook
É difícil discorrer sobre o desenrolar da história sem contar os seus detalhes, mas o que posso adiantar - já que a sinopse fala a respeito - é que Lou consegue, com o tempo, trazer um pouco do antigo Will de volta. Seu jeito espontâneo, muitas vezes desastrado e, principalmente, sua forma de lidar com ele (ele quase sempre é grosseiro e sarcástico), fazem com que Will se permita, pouco a pouco, baixar a guarda, passando com isso a enxergar nela alguém que ele deseja ter por perto. E esse é um dos fatos mais marcantes no livro. Ele fazendo de tudo para que Lou desabroche e descubra os próprios potenciais, e ela dando o melhor de si, tentando fazê-lo reconhecer que ainda poderia existir vida após o acidente. De minha parte, eu só digo uma coisa a esse respeito: é tenso! Se de um lado eu torcia muito para Louisa conseguir fazê-lo desistir das Dignitas, por outro eu compreendia perfeitamente o pensamento, o desejo, e os temores de Will (e isso de fato me assustou, porque o desejo dele é completamente o contrário de tudo aquilo em que eu acredito).

Enfim, o fato é que esse livro, bem como Will e Lou ficarão para sempre entre os primeiros no rol dos meus favoritos. Não posso deixar de dizer que o final é totalmente o oposto do que eu esperava e desejava ardentemente, mas esse fato não tirou de mim o amor por essa linda história. Fazendo jus ao que eu imaginava quando o título despertou em mim a vontade de lê-lo, Como Eu era antes de Você é sobretudo um romance que nos fala sobre a importância dos papéis que desempenhamos na vida uns do outros; sobre o quanto nossas atitudes, palavras e comportamentos podem vir a ser um bem ou mal na vida daqueles que convivem conosco. No livro a atitude de Lou visava salvar Will da morte, e a de Will tinha por objetivo salvar Louisa da existência morna e sem qualquer perspectiva que ela levava. Ambos deram o melhor de si, mas - talvez espelhar realmente a vida tenha sido o objetivo da autora - o fato é que nem sempre o melhor de alguém é o bastante para outro. Enfim, o livro tem um quê agridoce é bem verdade, mas é impossível não se emocionar com ele.

É isso, gente. Beijos e até a próxima! Deixo alguns quotes para vocês e, abaixo, um vídeo elaborado por uma fã do livro, com algumas das cenas da adaptação para o cinema. O lançamento do filme está previsto para 2016. #ansiedademodoon
 

“Sei que essa não é uma história de amor como outra qualquer. Sei que há motivos para eu nem dizer isso. Mas eu amo você. De verdade.”
*
“Quando o pegava olhando para fora através da janela, pensava que ele era a pessoa mais triste que eu já conhecera.”
*
“Fiquei deitada imóvel, ouvindo a respiração dele lenta e profunda, o som da chuva por trás dela, senti meus dedos cálidos entrelaçados nos meus. Eu não queria voltar pra casa. Pensei que poderia nunca mais voltar.”
*
"Sabe como é difícil não dizer nada? Quando seu corpo inteiro quer fazer o contrário?"
*
"Ninguém quer ouvir você falar que está com medo, ou com dor, ou apavorado com a possibilidade de morrer por causa de alguma infecção aleatória e estúpida. Ninguém quer ouvir sobre como é saber que você nunca mais fará sexo, nunca mais comerá algo que você mesmo preparou, nunca vai segurar seu próprio filho nos braços. Ninguém quer saber que às vezes me sinto tão claustrofóbico estando nesta cadeira que tenho vontade de gritar feito louco só de pensar em passar mais um dia assim."
*
"Seu corpo era apenas uma parte do pacote completo, algo para se lidar de vez em quando, em intervalos, antes de voltarmos a conversar. Para mim, tinha se tornado a parte menos interessante dele."
*
"Beijei-o, tentando trazê-lo de volta. Deixei meus lábios nos dele de maneira
que nossa respiração se misturou e minhas lágrimas viraram sal na sua pele e
disse a mim mesma que, em algum lugar, pequenas partículas dele virariam
pequenas partículas de mim, ingeridas, engolidas, vivas, eternas. Queria apertar
cada parte minha nele, deixar alguma coisa minha nele, dar a ele cada pedaço da
minha vida e obrigá-lo a viver." 
*
"Com que direito você destrói a
minha vida — eu queria perguntar —, e eu não estou autorizada a dizer nada a você
sobre isso?" 
 *
"É isso. Você está marcada no meu coração, Clark. Desde o dia em que
chegou, com suas roupas ridículas, suas piadas ruins e sua total
incapacidade de disfarçar o que sente. Você mudou a minha vida muito mais
do que esse dinheiro vai mudar a sua.
Não pense muito em mim. Não quero que você fique toda sentimental.
Apenas viva bem.
Apenas viva.
Com amor,
Will" 


Nenhum comentário

Postar um comentário