20 de setembro de 2014

Resenha: "Entre o agora e o nunca" (J. A. Redmerski)

Imagem: google
Sinopse: Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para a rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino. Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho.Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois. Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, "Entre o Agora e o Nunca" é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.


Como falei no post da TAG "Um livro, um filme", meu livro do momento era "Entre o agora e o nunca". Bom, terminei de lê-lo nesse instante e me vi praticamente obrigada a vir aqui e começar a resenha. É que, gente, não me vem outra coisa em mente se não: "paaaraaa tudo!!! Que história é essa, hein?" Depois de ler o "Se eu ficar" me vi no dilema de ter que escolher minha próxima leitura, e apesar de ter dezenas de livros me esperando na estante, optei por pesquisar alguns pdf's e de todos os que baixei, o "Entre o agora e o nunca" foi o título que mais me chamou a atenção. Sei lá, acho que esse conflito de opostos sempre me atrai. 

Então, o livro começa com um diálogo entre Cam e Nat, melhores amigas, embora completamente diferentes uma da outra. Enquanto Nat é excessivamente descolada, irreverente, Cam faz o estilo reservada e comedida nas suas palavras e atitudes, o que de cara fez com que eu me identificasse com ela.  A medida em que prosseguimos na leitura percebemos que as reservas de Cam tem como pano de fundo experiências dolorosas, as quais ela ainda se esforça pra superar.
"(...) É tão comum eu ficar pensando na vida, ponderando cada aspecto possível dela. Quero saber que diabos estou fazendo aqui. Até agora mesmo. (...) Ontem me perguntei por que eu sentia necessidade de me levantar exatamente na mesma hora do dia anterior e fazer tudo como fiz no dia anterior. Por quê? O que motiva qualquer um de nós a fazer as coisas que fazemos, quando no fundo uma parte da gente só quer se libertar de tudo?"
Não vou discorrer sobre o desenrolar do enredo, o que seria um crime da minha parte porque ele é bem mais que um romance. Por isso só posso dizer que esse livro, bem, ele surpreende e cumpre muito mais do que promete. É sério, gente. Só os livros da Agatha Christie e um ou dois do Nicholas Sparks me deixaram tão ansiosa a espera do final, principalmente quando a história vai chegando nos seus penúltimos capítulos.  O que posso adiantar é que Cam vai se descobrindo aos poucos, a medida em que se permite conviver com Andrew, o desconhecido que ela conheceu num ônibus quando decidiu sair numa viagem sem destino.
"Coincidência é só o nome que os conformistas dão ao destino."
"Entre o agora e o nunca" é uma história de amor linda, de descoberta e de encontro. Metaforicamente, o livro me fez refletir sobre como podemos descobrir e encontrar a nós mesmos, a partir do encontro e da descoberta do outro. Ficou confuso isso, né? Mas foi exatamente o que aconteceu entre os personagens. Andrew e Cam descobriram-se e reencontraram-se no sentimento que passaram a sentir um pelo outro. Um detalhe: apesar das minhas palavras soarem um tanto melosas, o livro não segue nem um pouco essa linha, viu? Pelo contrário. Numa mistura de humor e paixão (porque ele tem umas passagens um pouco apimentadas), "Entre o agora e o nunca" termina se revelando uma espécie de drama romântico daqueles que mexem com o mais profundo dos nossos sentimentos.
"O coração sempre vence a razão. O coração, embora seja imprudente, suicida e masoquista de um jeito só seu, sempre ganha a parada."
Bom, é isso o que tenho a dizer sobre esse livro. Eu discorreria bem mais, não fosse o risco de soltar alguns spoilers. Mas, enfim, falar que gostei dele é pouco. Claro, preciso confessar que quase joguei meu celular no chão num determinado momento, mas, isso faz parte das emoções de quem mergulha de cabeça numa história, principalmente quando esta fala de amor, autoconhecimento e de busca pela liberdade. Deixo, assim, mais essa sugestão para vocês e, se o lerem, espero que gostem tanto quanto eu. Ah, só mais uma coisa, pesquisando, vi que a história de Cam e Andrew tem continuação! Yeeees!!! "Entre o agora e o sempre" é o título do segundo livro. Preciso dizer mais? Não, né? #partiugoogle

Imagem: Google

Sinopse: Camryn Bennett e Andrew Parrish nunca foram tão felizes. Cinco meses depois de se conhecerem num ônibus interestadual, os dois estão noivos e prestes a ter um bebê. Nervosa, mas empolgada, Camryn mal pode esperar para viver o resto de sua vida com Andrew, o homem que ela sabe que vai amá-la para sempre. O futuro só lhes reserva felicidade... até que uma tragédia os surpreende. Andrew não consegue entender como algo tão terrivelmente triste pôde acontecer. Ele tenta superar o trauma — e acredita que Camryn esteja fazendo o mesmo. Mas, quando descobre que Camryn busca sufocar uma dor imensa de uma forma perigosa, fará de tudo para salvá-la. Determinado a provar que o amor dos dois é indestrutível, Andrew decide levar Camryn numa nova jornada carregada de esperança e paixão. O mais difícil será convencê-la a ir junto... Com Entre o agora e o sempre, a aguardada continuação de Entre o agora e o nunca, J. A. Redmerski concluiu a história de amor que encantou milhares de leitores.


Beijos, gente!

4 comentários

  1. malu, Malu, Malu...
    Eu tenho tantos livros me esperando na estante...
    tantos PDFs baixados à espera de uma chance...
    Na biblioteca de Mogi Mirim, cada vez chegam mais livros interessantes...
    E a cada resenha sua, a minha lista só faz aumentar!
    Não sei mais o que faço, mas pelo jeito vou ter que deixar este livro furar a fila, viu?
    Ô curiosidade!
    Amei a resenha!
    Bjossss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju,

      Deixa ele furar a fila, sim! Eu que não gosto muito de ler pelo celular, fiquei até tarde lendo ele ontem! Adorei!

      Beijo!

      Excluir
  2. Ainda não li nada da autora, mas a história parece ser bem interessante.
    Linda resenha.
    bjus :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!

      Olha, eu me tornei suspeita pra falar desse livro, porque eu simplesmente fiquei encantada. Então, sim, a história é interessante, e digo mais, surpreendentemente intensa! Recomendo demais!

      Obrigada pela visita! Bjs!!

      Excluir