Tudo é Consequência - Resenha de "O Livro das Coisas Perdidas", de John Connolly



Título: O Livro das Coisas Perdidas (The Book of Lost Things)
Autor: John Connoly
Tradução: Cecília Prada
Editora: Bertrand Brasil
363 páginas

Sinopse:  Em "O Livro das Coisas Perdidas", John Connolly desconstrói fábulas conhecidas, como A branca de neve e os sete anões e João e Maria, por meio de muita imaginação e mistério. Indicado ao prêmio Hughes & Hughes de melhor romance irlandês em 2007, quando lançado na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos, fez grande sucesso e virou mania entre todas as idades. Após a morte da mãe, David, de doze anos, passa a maior parte do tempo em seu quarto tendo os livros como companhia. Quando eles começam a sussurrar palavras para o menino, realidade e imaginação se misturam até que, ao brincar no jardim, David entra em um reino encantado, onde encontrará heróis, monstros e um rei fracassado que guarda seus segredos em um livro misterioso. Ecoando por contos de fadas com os quais todos os leitores cresceram, O livro das coisas perdidas é a apaixonante história de um menino que descobre que ler pode transformar qualquer fantasia em realidade e que, na vida real, crescer pode fazer de um simples jovem um herói.

Comecei a ler esse livro por insistência da minha irmã, que o leu primeiro e ficava me passando relatos intrigantes sobre a história. Acho que fui com expectativa demais pra cima dele, pela capa interessantíssima e tudo mais, ou simplesmente eu estava mais para o clima de romance do que para fantasia infanto-juvenil, mas eu esperava mais desse livro.
David, o personagem principal, acaba caindo no mundo das histórias e nos leva para uma aventura onde nos deparamos com uma nova visão dos Contos de Fadas aos quais estamos acostumados. Após a morte de sua mãe, em meio à ameaça da guerra e do medo de perder o amor de seu pai para sua nova mulher e seu irmãozinho mais novo, David se vê envolto em sentimentos controversos que acabam culminando nessa emocionante aventura.
Apesar de ser um livro aparentemente voltado para o público infanto juvenil, há algumas passagens um  tanto quanto obscuras e o autor escreve de uma maneira que nos envolve numa atmosfera de medo e ansiedade. Boa parte dos capítulos termina com calafrios termina nos deixando com calafrios e arrepios nos braços, principalmente quando há a participação do temível e misterioso homem torto.

O livro nos apresenta versões mais macabras de histórias como Chapeuzinho Vermelho, Bela Adormecida, Cachinhos Dourados, João e Maria, entre outros. A da Branca de Neve é a versão mais original que já vi! Essas versões se parecem mais com as primeiras versões dos contos, que não eram escritos para crianças e eram mais sanguinários e obscuros.

Apesar de não compartilhar da mesma empolgação que a minha irmã, achei o livro bem interessante, principalmente nas lições que ensina por trás de toda a fantasia. Abordando as consequências das ações de David, mostrou o quanto podemos ser mau influenciados por agirmos sem persar, guardando mágoas e sentimentos ruins. Sendo uma espécie mais tenebrosa de "Alice no País das Maravilhas" e "Terra de Histórias" o livro se torna uma mistura cativante que prende a atenção do início ao fim. Vale a pena

Por hoje é só e até as próximas! 

Comentários